Como Vencer os Algoritmos de Consumo e Obter Livros Gratuitos

O post de hoje é de utilidade pública. Vamos apresentar uma dica simples, mas poderosa, para obter livros digitais gratuitos para o Kindle, sem pirataria. E de sobra, vamos oferecer uma relação de livros por nós selecionados, inclusive de direito. Mas o principal propósito é mostrar como usar a inteligência artificial em nosso favor e como nos proteger das manipulações dos algoritmos de consumo.

Como diria Alvin Toffler, ou você tem uma estratégia própria ou então é parte da estratégia de alguém. Se você não quer ser parte da estratégia de alguém, é fundamental desconfiar da configuração original que vem oferecida pelos grandes portais. Esses portais costumam ser configurados, no seu modo padrão, para induzir o usuário a consumir por sugestionamento. Eles utilizam métodos poderosos e desenhados sob medida para capturar a atenção do consumidor e fazê-lo gastar o máximo de tempo, de atenção e de recursos financeiros.

É fácil cair nessas armadilhas, pois o jogo é desleal. Os grandes conglomerados investem bilhões para descobrir formas de controlar nossas decisões e nos induzir a fazer o que querem. As mentes mais inteligentes do planeta estão do lado deles, usando conhecimento de ponta, uma quantidade enorme de dados e sofisticados modelos matemáticos para prever, monitorar e direcionar os comportamentos humanos. Geralmente, isso ocorre por meio de gatilhos mentais embutidos nas páginas de acesso dos sites que influenciam o inconsciente a consumir cada vez mais.

Faça um teste. Entre em um grande site de comércio eletrônico. Você verá vários gatilhos em ação. Há alguma promoção com tempo limitado? Escassez. Há algum mega desconto? Ancoragem. Há avaliação positiva de outros usuários? Conformidade social. Há slogans irresistíveis? Copywriting. Há opção de pagar com um clique? Nudge marketing. Há publicidade que parece adivinhar o que você quer? Retargeting ou monitoramento dos rastros digitais. Há poluição visual, com muitas cores e banners em movimento? Confusão mental para reduzir a capacidade cognitiva e instigar o senso de urgência. Booom! Seu cérebro já fica predisposto a comprar.

Esses gatilhos têm o mesmo efeito de um caça-níquel para uma pessoa viciada em jogos. Como qualquer vício, dificilmente a pessoa viciada conseguirá vencer a tentação de parar de consumir. No final, acabará esgotando uma parte de seus recursos com produtos sugeridos pelo algoritmo que, em contextos mais racionais, não seriam adquiridos.

Você já recebeu publicidade de algo que você acabou de mencionar em uma conversa? Se sim, é porque há mecanismos sofisticados de monitoramento, de predição e de persuasão que conhecem seus desejos mais do que você mesmo. Os algoritmos sabem o que você fez no verão passado e irão usar isso para controlar seus próximos passos.

Uma simples mudança de configuração pode minimizar a influência dos gatilhos, proporcionando uma experiência digital mais produtiva, menos perdulária e mais rica intelectualmente.

O segredo é salvar na barra de favoritos do navegador uma página configurada de acordo com suas preferências, evitando a visualização da página padrão. Em outras palavras: basta personalizar o site e deixar essa personalização sempre acessível na barra de favoritos.

Qual a vantagem disso?

Ao mudar a configuração da página inicial e adicionar essa nova configuração à barra de favoritos, você será capaz de criar uma página inicial só com produtos que você considera valiosos. Ao invés de ser manipulado pelos algoritmos, você estará sinalizando para o robozinho da internet os estímulos que quer receber.

Isso vale para qualquer grande portal, mas vamos usar o site da Amazon como ilustração por ser onde há mais opção de livros gratuitos.

A opção mais prática é configurar a página inicial inserindo na busca um termo de interesse. Por exemplo, Amazon – Filosofia ou Amazon – Economia ou ainda Amazon – Direito. Mas você pode alterar para o assunto que você quiser. O objetivo é informar para o sistema que você considera aquele assunto prioritário e neutralizar alguns gatilhos da página de entrada.

Depois de escolher a configuração, é só incluir o site na barra de favoritos do navegador. Geralmente, há um botão na parte superior, ao lado do endereço do site, para adicionar a página aos favoritos. Selecionar e arrastar o endereço para barra também costuma funcionar.

Uma opção um pouco mais trabalhosa é detalhar as opções para que a página inicial mostre apenas os livros gratuitos. Uma das nossas configurações favoritas é a seguinte: Livros Grátis de Filosofia, Política e Ciências Sociais Por Data de Publicação.

Ao classificar os livros gratuitos por “data de publicação”, é possível receber todas as atualizações de livros gratuitos sempre que o site é acessado. Isso ajuda a descobrir não só as novidades, mas também aqueles livros que as editoras incluem por curto prazo na lista de gratuitos.

Há achados incríveis como o livraço “A Singularidade Está Próxima”, de Ray Kurzweil, que costuma ser vendido por R$ 139,00, mas, na presente data (1/8/2022), está gratuito. (Vale ressaltar que esses achados são dinâmicos, pois muitas editoras oferecem o livro de graça por curto prazo apenas para testar o link ou em alguma promoção relâmpago).

Além disso, há os livros clássicos que, por serem de domínio público, costumam estar sempre gratuitos. Eis alguns exemplos: “Dos Delitos e das Penas”, “Elogio da Loucura”, “Do Contrato Social”, “Ensaio sobre o Entendimento Humano”, “O príncipe”, entre outros.

O ideal é ler pelo Kindle. Porém, mesmo que você não tenha o aparelho, há o aplicativo gratuito para PC, smartphone e tablets, com vários recursos de leitura e anotação.

A variedade de livros jurídicos é menor. Mesmo assim, há livros excelentes, como diversas obras do Hugo de Brito Machado e do Dalmo de Abreu Dallari. Além disso, há obras acadêmicas que os autores costumam disponibilizar gratuitamente, como “Justiça em Tempos Sombrios”, de Christina Ribas, e “O Poder Judiciário no Regime Militar”, de Vladimir Passos de Freitas.

A Loja Kindle disponibiliza uma lista de assuntos que você pode selecionar, incluindo “negócios e economia”, “computação, internet e mídia digital”, “turismo e viagem” e assim por diante. Desse modo, você pode configurar de acordo com seu assunto favorito, inserindo a opção na barra de favoritos.

O importante é que você recupere o controle de suas escolhas e não caia nas armadilhas da indústria digital.

Quando você avisa para o robozinho da internet que deseja alavancar a sua vida intelectual e prefere produtos gratuitos, a inteligência artificial passa a trabalhar para você na direção desejada. Você passará a receber conteúdo inteligente, tornando-se uma pessoa cada vez melhor por default. É mágico.

PS. Se ficou confuso, aqui o passo a passo: (1) acesse o link Amazon – Direito; (2) altere para o termo de busca de sua preferência; (3) encontre o botão “favoritos” no seu navegador ou arraste o link até a barra de favoritos.   

%d blogueiros gostam disto: