Hora de Aventura: o episódio perdido

by

Este post será escrito por três pessoas: eu, George Marmelstein, e meus filhos: Vinícius Marmelstein (9 anos) e Diego Marmelstein (7 anos). Vamos comentar o caso do desenho “Hora de Aventura: o Episódio Perdido”. Seu objeto é um problema de alta complexidade: os limites da liberdade de expressão e a proteção do público infantil.

O que aconteceu foi o seguinte, nas palavras do Dieguinho: um homem criou o “Hora de Aventura”, que é um desenho infantil que passa no Cartoon Network. Porém, ele bagunçou tudo, ou seja, colocou tudo ao contrário: ao invés de ser infantil, ele fez um roteiro para gente grande. Em um capítulo polêmico, a Princesa Jujuba foi até a casa de Finn, e disse: “O Inferno Precisa de Você”. O Finn respondeu: “Que Inferno que nada”. Pegou uma garrafa quebrada e lançou na cara a Princesa Jujuba. Jake, que era o cachorro amigo de Finn, olhou tudo. Ele ficou maluco quando viu aquilo. Finn olhou pra ele, e pegou os cacos da garrafa que tinham quebrado no chão, pegou um pedaço de vidro e lançou na cara do Jake. E no Episódio do Ricárdio, o coração de Rei Gelado, Finn mostra uma foto de um bebê com uma faca na boca. Então olha pra Princesa Jujuba, enfia uma faca na garganta dela, rindo de sua morte, e gritou “Inferno”, com a voz do Jake. O episódio nunca foi ao ar, mas um estagiário que assistiu ao filme acabou colocando o roteiro no ar: Eis um vídeo narrando o episódio:

O homem que criou “Hora de Aventura” acabou se demitindo.

Diante disso, o que pensar? O desenho deve ser transmitido? O criador de Hora de Aventura deveria mesmo ter se demitido?

Vinícius: ele deveria se demitir, porque ele poderia sofrer sérios problemas ao continuar na “Hora de Aventura”. Ele errou ao fazer esse vídeo diferente do contexto original, incluindo cenas inapropriadas para crianças. Cenas de violência, palavras que não eram para crianças aprenderem não deveriam estar em filmes infantis. Ele está errado.

Dieguinho: ele fez a coisa certa, pois ele fez uma coisa errada e reconheceu que era errada, então ele fez a melhor coisa a se fazer. O filme que ele fez era errado porque ele incluiu no filme coisas de adulto, porque tem sangue, morte e destruição. Crianças não podem ver isso, pois podem achar que é certo e podem querer fazer o mesmo. Se ele pedir desculpas, ele pode voltar a fazer o “Hora de Aventura” como deve ser, ou seja, sem sangue, sem morte e sem destruição.

George Marmelstein: primeiro, não posso deixar de mencionar meu orgulho, pois foram meus filhos que trouxeram esse caso para mim. Segundo, eles foram capazes de tomar decisões sem minha influência. Tentei ao máximo não deixar que eles se influenciassem pela minha opinião. Depois disso, posso comentar. É impressionante como os desenhos de agora são diferentes de antigamente, seja para melhor, seja para pior. Esse mesmo “Hora de Aventura” tem episódios inteligentíssimos, muito bem construídos. Mas, infelizmente, o criador parece que abusou… Levou sua visão negativa de mundo para o público infantil. Sua demissão foi um ato de reconhecimento do erro. É lógico que poderíamos lançar aqui questões até mais complexas: poderia tal desenho ser censurado? Caberia uma indenização pelo fato de ter ido ao ar e inúmeras crianças terem assistido? Pelo que pude perceber, o episódio perdido nunca foi ao ar. Porém, até hoje, o espírito de “sangue, morte e destruição” continua no filme.

Para meus filhos, o filme tem que continuar, sem as cenas inapropriadas. E vocês, o que acham?

Advertisements

6 Respostas to “Hora de Aventura: o episódio perdido”

  1. Rafael Says:

    “(…) ele pode voltar a fazer o “Hora de Aventura” como deve ser, ou seja, sem sangue, sem morte e sem destruição.”

  2. Robson Oliveira Says:

    Não consegui achar em nenhum lugar que Pendleton Ward (o criador) pediu demissão. É estranho, já que Hora de Aventura é o desenho de maior audiência do Cartoon, junto com “Apenas um show”. Outra coisa, salvo engano o desenho é indicado para maiores de 12 anos, justamente por causa de seu conteúdo, com claras referência sobre uma guerra nuclear e criaturas deformadas devido à exposição ao lixo tóxico. Fora o linguajar e a personalidade dos personagens, que se aproximam muito da nossa cruel realidade. As crianças acertaram em cheio em um ponto: é um desenho mais voltado para adultos que para crianças. Eu, particularmente, adoro!

  3. Robson Oliveira Says:

    Agora que assisti o vídeo, percebi que quem pediu demissão foi o tal “estagiário”. Sei lá, isso me parece lenda.

  4. George Marmelstein Lima Says:

    É verdade, Robson. Também não tinha visto o vídeo. Parece que quem pediu demissão foi o estagiário após assistir ao tal “episódio perdido”…
    Costumo sempre acompanhar a programação que meus filhos assistem e já tinha percebido que o “Hora de Aventura” era um programa diferenciado. Confesso que até gosto também… Já vi meu filho de 7 anos chorando com as músicas da Marceline… Mas o impacto de tal filme na formação da personalidade de uma criança é um mistério.

  5. Courtney Hanson Says:

    Sinopse: Na Descrição de A Hora do Pesadelo 6 Online Dublado, Filme A Hora do Pesadelo 6 Dublado Online, Assistir Filme Dublado A Hora do Pesadelo 6 Online, Justamente quando você achava que estaria a salvo indo dormir, Freddy Krueger (Robert Englund) retorna para assombrar seus sonhos e congelar seu sangue! Lisa Zane (Sob a Sombra do Mal) interpreta uma garota psicologicamente atormentada por pesadelos recorrentes. Até que ela encontra um outro paciente com os mesmos sonhos horripilantes. Lisa, então, decide procurar por respostas, e acaba chegando à casa da rua Elm – onde um Mal que desafia o além-túmulo está prestes a derramar-se sobre o mundo. Com Yaphet Kotto (das séries de TV Homicide e Alien), Tom Arnold, Alice Cooper e Johnny Depp (que fez sua estréia no cinema no primeiro A Hora do Pesadelo), o mais aterrorizante filme da saga em sonho é uma “viagem fantástica!” (The Washington Post).

  6. Letícia Barbosa Says:

    Eu assisto Hora de Aventura (e adoro), meu irmão mais novo também, acho o desenho bastante criativo e divertido. No entanto no primeiro contato achei a animação muito macabra e sombria para o público infantil, mas, temos outros exemplos como Coragem, o Cão covarde, As Aventuras de Flapjack e tantos outros. Acho que o sucesso desses programas se dá por causa desse caráter mais escuro, um enfoque diferente do convencional, talvez por isso chame atenção. O que existe é apenas uma especulação sobre os chamados “episódios perdidos”, já que eles nunca foram ao ar sendo assim não se pode provar que de fato existem. Mas, sim, deve haver um controle sobre a programação infantil, crianças não podem ficar expostas a toda e qualquer tipo de informação.

Os comentários estão fechados.


%d bloggers like this: