“Direitos Fundamentais” – O Quadro

A pintura acima ilustra a capa do meu “Curso de Direitos Fundamentais”. Foi pintado pela minha esposa, Danielle Diógenes, especialmente para a ocasião.

É um quadro cheio de simbologias ligadas aos direitos fundamentais. Aliás, eu próprio dei alguns pitacos que foram aproveitados na versão final.

A árvore, por exemplo, é uma macieira, simbolizando o livre-arbítrio e, portanto, a autonomia da vontade, que é a matéria-prima dos direitos de liberdade.

A família do quadro está meio que representando a humanidade. A criança está carregando no braço um cordeirinho, destacando duas coisas: (a) a solidariedade e (b) a proteção dos animais e do meio-ambiente. A mulher está grávida, enaltecendo o direito à vida. O marido carrega um violão, para simbolizar, bem, deixa eu ver, a música e a cultura (será que estou forçando a barra?)…

No céu, há um arco-íris, que é o símbolo da diversidade, do pluralismo e da tolerância. Além disso, procura-se destacar as cores do lema da Revolução Francesa – o azul no céu (liberdade), o branco  nas nuvens (igualdade) e o vermelho no sol (fraternidade).

Talvez não seja possível perceber, mas atrás da família, na estrada, as estruturas das pedras parecem a forma de uma suástica nazista, para lembrar que esse foi um obstáculo que ficou pra trás e que agora é só caminhar em direção ao sol, que surge no horizonte simbolizando a esperança. Há ainda uma pomba branca, simbolizando a paz, que tenta guiar a família rumo a seu destino.

Finalmente, dentro de uma daquelas casinhas, há alguém lendo o meu Curso de Direitos Fundamentais. Não dá pra ver, mas ele tá lá.

6 comentários em ““Direitos Fundamentais” – O Quadro”

  1. Fico feliz em saber que o livro saiu.
    Sou estudante de Direito e tenho acompanhado o site já tem uns meses.

    Textos sempre lúcidos e, principalmente, muito bem embasados.
    Será com certeza minha próxima aquisição pra minha modesta biblioteca jurídica.

  2. Esse post me lembrou de que tenho um casal de amigos que está me devendo um quadro… :-))

  3. Pena que no livro mais da metade da imagem está escura, assim ficando difícil perceber os detalhes descritos.

    Parabéns pelo livro.

Os comentários estão encerrados.

%d blogueiros gostam disto: