CQC no Congresso

by

Este blog apóia a campanha: CQC No Congresso.

Assine você também.

E viva a democracia e a liberdade de expressão!

*****

Upgrade: parece que, depois do enfático apoio do blog, o CQC finalmente conseguiu autorização para entrar no Congresso Nacional, com o mesmo status de qualquer membro da imprensa “tradicional”. Ponto para a democracia.

Advertisements

6 Respostas to “CQC no Congresso”

  1. Fabrício Fernandes Andrade Says:

    Excelente. Dr. George Lima. Eu tinha acabado de acessar o site do CQC e pensei justamente no nosso blog (acho que já posso dizer isso – risos). Não deu outra, acessei agora o blog e vi que, como já era de se esperar, estamos todos juntos com o amigos do excepcional programa da Band. Num Estado de Direito, pelo amor à Deusa do sistema normativo (arts. 5º e 37 da CF), não se pode aceitar isso jamais. Já pensou num Mandado de Segurança contra um ato desses? Seria essa a ação cabível? Imagine que confusão não daria. Avante CQC!

  2. Suedja Márcia dos Santos Araújo Says:

    Dr. George, saudações…
    Sou aluna do 2o ano de Direito da FARN, Rio Grande do Norte, e gostaria de parabenizá-lo pelo site. Enquanto pesquisava para meu artigo sobre direitos fundamentais (e que pretendo apresentar no proximo Congresso de Constitucional aqui em Natal), encontrei seus textos, atualíssimos, linguagem bem dinâmica, eu poderia dizer que talvez “pop”, bom demais! Nossa, fiquei tão feliz de ver tanta coisa boa num só lugar…
    Mais uma vez, meus parabéns!

    Suedja

  3. Antonio Pereira dos Santos Jr. Says:

    Caro Prof. George.
    Eu gosto do programa CQC, mas não estou muito a favor desta campanha. A liberdade de imprensa deve existir, mas não a libertinagem da imprensa. Humor e a irreverência são marcas constantes neste programa, mas tudo deve ser dosado.
    Não pode um programa de comédia-jornalística(certamente preocupado com a audiência) utilizar-se do manto da liberdade de imprensa e de expressão para ferir a dignidade de uma pessoa.
    Há casos ao extremo de falta de educação e respeito.
    Se temos maus governantes que não trabalham e que não possuem idéia do que seja Poder Executivo e Legislativo a culpa é exclusivamente de quem votou neles.
    Agora um programa de TV querer passar mensagem a “sociedade” que estão fazendo um favor mostrando o que são e como pensam algumas pessoas com artifícios de escárnio é ultrajante.
    Seriamos inocentes em pensar que o CQC está preocupado com o trabalho das autoridades brasileiras.
    As dificuldades encontradas ao Congresso Nacional são decorrentes as zombarias criadas por seus “repórteres”.
    Fico a pensar se eles fossem ao judiciário e perguntam-se o seguinte aos juízes:
    – Quantos processos o Sr. julgou hoje? (porque não julgou se a sua função é essa?)
    – Quantas audiências foram realizadas? Atendeu bem aos advogados?
    Com certeza a AJUFE e AMB e outras entidades ligadas ao judiciário não iriam gostar destas perguntas. ( quero deixar claro que isso é um exemplo)
    Para ilustrar o caso, lembro de ter lido(no seu blog http://georgemlima.blogspot.com/2007/08/jurisprudenciando-casos-curiosos.html ) em caso da corte francesa que o Ministério Publico do Trabalho daquele país promoveu uma ação contra um circo, pois neste circo realizava o lançamento de um Anão. Nesse caso entrou em conflito o direito ao trabalho do anão e a dignidade da pessoa humana Resumindo, o caso chegou ao Comitê de Direitos Humanos da ONU e julgou que tal fato violaria a Dignidade da pessoa humana.
    Na minha modesta opinião na dosagem dos princípios (nem precisa de uma calculadora para isso) a dignidade do parlamentar ou outro qualquer que seja estaria em grande vantagem em relação à liberdade de imprensa e de expressão.
    Estou pronto para ser o alvo das críticas…kkkkk
    Um grande abraço.

  4. georgemlima Says:

    Antônio,

    nada impede que um parlamentar supostamente ofendido ingresso com ação de reparação de danos. A censura prévia, nesse caso, me parece anti-democrática, até porque estamos falando do parlamento, que supostamente deveria ser o baluarte da democracia.

    Isso sem falar numa possível violação à isonomia em relação a programas parecidos. Será que o Congresso teria coragem de proibir a entrada dos Cassetas também? Acho difícil…

    Só pra finalizar: o humor do CQC é um dos mais inteligentes que já vi na TV brasileira, especialmente em matéria política. Eles têm coragem de fazer perguntas que todo brasileiro tinha vontade.

    Em síntese: o programa só engrandece a democracia, ainda que eventuais abusos possam ser sancionados.

    George

  5. green card Says:

    Há alguma informação sobre este assunto em outras línguas?

  6. Rafael Rivas Says:

    Eu concordo em partes com o CQC e com o amigo Antonio Pereira. A imprensa dos dias atuais não está muito preocupada em definir quem é certo ou errado, quem é corrupto ou não. A mídia protege seus próprios interesses, é um aparelho ideológico para formar opinião pública. Gostei do exemplo que o Antônio deu sobre o judiciário. E se o CQC fosse nos tribunais, nos fóruns e comarcas, perguntar a que hora os juizes chegaram pra trabalhar? ou se eles escolheram de acordo com a elite ou o desfavorecido? ou por que eles votaram a favor do aumento de salários deles e deram um mínimo de reajuste aos servidores?
    É uma inversão de papéis. A democracia ta sendo manipulada por essas empresas que professam a fé de quem as patrocina. O CQC é bom, mas essa liberdade deve ser regulada, não pelo Estado, se não pelo próprio público que os assiste.

Os comentários estão fechados.


%d bloggers like this: