Curso de Direitos Fundamentais – Parte Zero

by
Conforme já mencionei, o Curso de Direitos Fundamentais que estou escrevendo terá uma “Parte Zero”, na qual publicarei alguns textos introdutórios, no intuito de engajar o aluno na luta pelos direitos fundamentais e de fazer com que o leitor comece a se acostumar com os meus pontos de vista.
Os referidos textos já foram postados aqui neste blog. Como forma de melhor organizar as idéias, aqui vão eles:

Parte Zero – Textos Afins

1. Por que é tão difícil gostar do direito? Conselhos para estudantes de direito com crise vocacional

2. Os Juristas e os Poetas

3. O Direito como Instrumento de Luta

4. Que tal uma Constituição pra valer?

Críticas ou sugestões podem ser enviadas diretamente para meu e-mail (georgemlima@yahoo.com.br) ou podem ser deixadas nos comentários do blog.

Anúncios

3 Respostas to “Curso de Direitos Fundamentais – Parte Zero”

  1. Anonymous Says:

    Professor,o senhor disse que queria saber se o curso estava agradando! Eu respondo que a mim, sim! Estou adorando as aulas e o tema é muito interessante. Não há como não se apaixonar por direitos fundamentais. Quanto ao Curso de Direitos Fundamentais, adoro os exemplos e os casos. E gosto mais ainda do fato de permitir que nós olhemos os dois lados e possamos expressar nossa opinião.

  2. Anonymous Says:

    Professor, esta é minha primeira visita e estou apreciando muito seu trabalho. Por favor, continue

  3. Thiago. Says:

    Caro Professor George, os textos da chamada parte zero estarão na versão escrita do livro??

    Se sim, e eu apreciaria muito que isso ocorresse, gostaria de ver um paralelo entre o texto “os juristas e os poetas” que aborda e compara os estilos do parnasianismo, dadaísmo e romantismo, com algum escrito sobre juízes naturalistas, positivistas e pós-positivistas. Eu achei excelente o texto, e logo quando o li me veio à cabeça essa evolução ocorrida e que culmina com o apego à Constituição acima de qualquer outra coisa. Sei que é muita pretensão minha pedir que escreva um paralelo, mas não custa tentar. Aliás, não sei nem se tem muito há ver, mas me veio essa sensação por causa dos caracteres que permeiam a evolução constitucionalista.

    ATT.

    Thiago. (Aluno do 9º Semestre). BSB.

Os comentários estão fechados.


%d bloggers like this: